Segundo a família, o rapaz de 19 anos estava desaparecido há mais de uma semana e foi achado após morador ouvir gritos de socorro. Vítima foi levada para o Hospital das Clínicas com fraturas nas pernas e escoriações.

Um jovem de 19 anos foi resgatado na tarde desta sexta-feira (19) pelo Corpo de Bombeiros após ser localizado em um penhasco de 30 metros de altura, em Marília (SP). Segundo a família da vítima, Guilherme de Almeida estava desaparecido há mais de uma semana.

O penhasco fica nos fundos do Jardim Santa Antonieta, na zona norte da cidade. Segundo os bombeiros, o rapaz foi localizado depois que o morador de uma chácara caminhava pela área de mata do bairro, quando ouviu os pedidos de socorro e acionou as equipes de salvamento.

Os bombeiros desceram o penhasco por meio de uma trilha aberta na mata. De acordo com a corporação, o local é íngreme e considerado de difícil acesso. Com isso, os bombeiros levaram quase duas horas para chegar até a vítima.

No início da tarde, as equipes conseguiram fazer o resgate. O jovem estava consciente, mas estava com fraturas nas pernas e diversos ferimentos pelo corpo.

O rapaz foi imobilizado e levado até o alto do penhasco, onde uma unidade de suporte avançado do Samu já esperava pela vítima. Após checar seu quadro clínico, ele foi encaminhado para o Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas de Marília.

 
Segundo o tenente Fernando Calógero, dos Bombeiros, situação de longas sobrevivências sem água e comida não são raras  — Foto: Guilherme Lopes/TV TEMSegundo o tenente Fernando Calógero, dos Bombeiros, situação de longas sobrevivências sem água e comida não são raras  — Foto: Guilherme Lopes/TV TEM

Segundo o tenente Fernando Calógero, dos Bombeiros, situação de longas sobrevivências sem água e comida não são raras — Foto: Guilherme Lopes/TV TEM

Sumiço

 

O pai da vítima, Rogério Marcelino Alves, disse que na quinta-feira (11) ele foi avisado de que filho não apareceu no trabalho.

Aos bombeiros, o rapaz disse que estava andando pela beira do barranco quando se distraiu e escorregou. O jovem também disse estava sozinho caído no buraco desde a quinta-feira.

Segundo tenente Fernando Gomes Calógero, do Corpo de Bombeiros, esse tipo de situação de sobrevivência em situação de isolamento por vários dias não é tão rara quanto se imagina.

“A principal preocupação nesses casos é com a desidratação, mas é possível sim sobreviver sem comida e água por vários dias. Geralmente em situação assim a vítima consegue se hidratar com água de chuva ou alguma fonte próxima”, explicou o tenente.

 
Bombeiros tiveram de percorrer uma trilha em terreno íngreme e de difícil acesso — Foto: Corpo de Bombeiros/DivulgaçãoBombeiros tiveram de percorrer uma trilha em terreno íngreme e de difícil acesso — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Bombeiros tiveram de percorrer uma trilha em terreno íngreme e de difícil acesso — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

 
Rapaz sofreu fraturas na pernas e escoriações após uma queda de cerca de 30 metros: "momento de distração" — Foto: Corpo de Bombeiros/DivulgaçãoRapaz sofreu fraturas na pernas e escoriações após uma queda de cerca de 30 metros: "momento de distração" — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Rapaz sofreu fraturas na pernas e escoriações após uma queda de cerca de 30 metros: "momento de distração" — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

 

Fonte: G1 Marilia / Bauru